Entre jovens, vício em smartphones é maior do que em Internet

jovensO Gabinete de Educação da Província de Gyeonggi, na Coreia do Sul, realizou uma pesquisa com aproximadamente 1,5 milhão de estudantes cursando o equivalente aos Ensinos Fundamental e Médio, para descobrir padrões de uso de smartphone. As informações são do jornal KBS World.

No geral, 66% dos alunos pesquisados tinham um smartphone. Desse total, 48% eram do ensino fundamental, 76% do ensino médio e 77% do último ano. Aproximadamente 46% dos alunos disseram passar 1-3 horas por dia em seus telefones, em média, enquanto 27% relataram uso de menos de uma hora diária. Apenas 10% disseram passar mais de cinco horas todos os dias.

 Estudo mostrou que envio de mensagens por meio de aplicativos de bate-papo e falar ao telefone foram as atividades mais populares.

O envio de mensagens por meio de aplicativos de bate-papo e falar ao telefone foram as atividades mais populares, de acordo com a pesquisa. Em seguida vieram ouvir música ou baixar arquivos MP3. Navegar na web e jogar jogos também são atividades comuns.

De acordo com as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Sociedade da Informação, 2.2% dos estudantes pesquisados estavam em um alto risco de vício em smartphone. Isso é mais que o dobro da taxa daqueles que estavam em um alto risco de vício em internet (1.1%), de acordo com estudo realizado no começo do ano. Os que estão na categoria de alto risco tiveram problemas levando suas vidas cotidianas, sofrendo sintomas de abstinência, se comunicando com os outros principalmente por meio de seus celulares e se sentindo ansiosos sem seus smartphones.

O governo pretende fortalecer a educação nas escolas para prevenir o vício em smartphone e promover o uso saudável do dispositivo.

Precisamos de uma iniciativa assim aqui no Brasil. Vemos que problemas ocasionados somente nos adultos, começam a dar sinal também nos mais jovens.

Fonte: IDGNow

André Quintão

Está à frente de vários projetos sociais, desenvolvendo sempre novas ideias para auxiliar pais e mestres na educação de jovens e crianças em todo Brasil. Autor do livro “Pai Real no Mundo Virtual”

Contribua com seu comentário