Nossa homenagem a Steve Jobs

Esta semana perdemos um dos grandes magos (como era chamado na Apple) desta era digital que vivemos nas últimas décadas, uma revolução sem parâmetros que mudou radicalmente nossa forma de consumir informações e sede desenfreada por mídia em todos os formatos.

Mais do que um revolucionário, Steve Jobs representa um símbolo de superação pessoal, onde a necessidade de mudanças, de valores é constante a cada dia, pois o comodismo, a ganância e a inatividade cega e consome o ser humano. Ele deixa amigos e inimigos, mas todos com o mesmo sentimento de que foi uma personalidade singular. Deixamos aqui nossa homenagem, um vídeo de seu impressionante discurso em Stanford e algumas de suas frases marcantes sobre sua visão da vida e da morte:

“Se hoje fosse o último dia de minha vida, queria fazer o que vou fazer hoje? E se a resposta fosse não muitos dias seguidos, sabia que precisava mudar algo.”

“Você pode encarar um erro como uma besteira a ser esquecida, ou como um resultado que aponta uma nova direção”.

“Parece que você está apenas à procura de alguém para ficar zangado em vez de si próprio.”

“Tenha coragem de seguir o que seu coração e sua intuição dizem. Eles já sabem o que você realmente deseja. Todo resto é secundário.”

“Não penso muito em legado para as próximas gerações. Penso apenas em acordar de manhã e trabalhar com pessoas brilhantes para criar coisas que, espero, sejam tão apreciadas por outras pessoas como são apreciadas por nós.”

“Para se ter sucesso, é necessário amar de verdade o que se faz. Caso contrário, levando em conta apenas o lado racional, você simplesmente desiste. É o que acontece com a maioria das pessoas.”

“Eu trocaria toda a minha tecnologia por uma tarde com Sócrates.”

“Não faz sentido olhar para trás e pensar: devia ter feito isso ou aquilo, devia ter estado lá. Isso não importa. Vamos inventar o amanhã, e parar de nos preocupar com o passado…”Em 2007, comentando sua orientação aos funcionários da Apple em 1997, quando voltou à empresa

“Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que querem chegar ao Paraíso não querem morrer pra estar lá. Mas, apesar disso, a morte é um destino de todos nós. Ninguém nunca escapou. E deve ser assim, porque a morte é provavelmente a maior invenção da vida. É o agente de transformação da vida. Ela elimina os antigos e abre caminho para os novos.”

André Quintão

Está à frente de vários projetos sociais, desenvolvendo sempre novas ideias para auxiliar pais e mestres na educação de jovens e crianças em todo Brasil. Autor do livro “Pai Real no Mundo Virtual”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *