Pessoas contam mais mentiras na Internet do que na vida real, revela estudo

Segundo levantamento de universidade dos EUA, há maior probabilidade de comportamento mentiroso em troca de e-mails e mensagens instantâneas.
Conversar pela Internet pode tornar as pessoas mais inclinadas a mentir, afirma um novo estudo da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, de acordo com informações do site Huffington Post. Intitulado “Liar, Liar, Hard Drive on Fire: How Media Context Affects Lying Behavior”, o levantamento descobriu que as pessoas mentiam mais ao enviar e-mails ou mensagens instantâneas (como MSN e Gtalk) em comparação ao seu comportamento quando falavam pessoalmente.

“Não é novidade que nós mentimos. O que é novo aí é que nós mentimos ainda mais online”, afirmou o pesquisador da universidade, Mattitiyahu Zimbler, sobre a descoberta que foi publicada recentemente na revista especializada Journal of Applied Social Psychology.

Como explica o jornal Times of India, o estudo colocou duplas de estudantes universitários que não se conheciam para conversarem, pessoalmente, por e-mail ou mensagens instantâneas. Por meio dessas situações, os pesquisadores chegaram à conclusão de que os participantes mentiam mais quando estavam enviando e-mail, seguido por mensagens instantâneas e, por último, em conversas presenciais.

“De modo geral, a descoberta mostra como é fácil mentir online, e que temos maior probabilidade de sermos receptores de afirmações falsas do que ao interagir face-a-face com os outros”, afirma Robert Feldman, outro pesquisador da universidade que também atua como professor de psicologia.

Fonte: Huffington Post

André Quintão

Está à frente de vários projetos sociais, desenvolvendo sempre novas ideias para auxiliar pais e mestres na educação de jovens e crianças em todo Brasil. Autor do livro “Pai Real no Mundo Virtual”

Contribua com seu comentário